« Home | Hein!? » | Arte Incomum » | O Martelo e a Bigorna » | Urinando com Jim Morrison Pablo Capistrano O c... » | Babel » | Palimpnóia » | Ficção e Desatino » | Hein?! » | Arte Incomum » | Arte Incomum | Harém »

Ficção e Desatino

Grandes narizes, grandes artistas

Vivemos numa época em que tudo o que é considerado defeito pode ser mudado com cirurgia plástica, lasers e mais uma tonelada de soluções escabrosas. Muitos atores recorrem a esse tipo de técnica, mas há os que preferem manter o imponente nariz e fazê-lo famoso por gerações.
No caso do ator porto-riquenho Jose Férrer e do francês Gérard Depardieu, os seus grandes narizes lhe deram a oportunidade de interpretar o escritor Cyrano de Bergerac. Este viveu na metade do século XVII, é autor de livros que se encaixam entre a fantasia e a ficção científica e tem como maior característica física um enorme nariz. A vida do autor foi levada inúmeras vezes ao teatro, às telinhas e aos telões, tendo, no cinema, os nossos célebres narigudos como protagonistas.
Já com o talentoso Tim Roth, as coisas não foram tão simples. O ator enfrentou severos comentários de Rick Baker, o responsável pela maquiagem do filme "Planeta dos Macacos", de Tim Burton. Baker disse: "Roth tinha o pior rosto a ser transformado no de um chimpanzé. Para que isto funcione, é preciso procurar atores com a fisionomia ideal: nariz pequeno e os lábios superiores longos. Eu implorei a Burton para não selecionar pessoas de nariz grandes para o elenco. Acabou sendo uma vantagem, pois o personagem de Roth diferenciou-se dos demais".
A ficção também já foi cruel com os narigudos. Um exemplo clássico é o musical "A Hard Day's Night" (que chegou ao Brasil com o terrível título "Os Reis do Iê-Iê-Iê"), em que o pobre baterista do The Beatles, Ringo Starr, sofre preconceito até por parte das fãs, que não lhe enviam cartas porque Ringo possui um nariz "um pouco avantajado demais". A dor de Ringo é tamanha, que este some pelas ruas, sozinho, prejudicando a si e à banda.
Entre as moças, o exemplo mais marcante, quiçá, é o de Rossy de Palma. A atriz espanhola teve sua estréia em "A Lei do Desejo", de Pedro Almodóvar e, entre os filmes do diretor permaneceu durante grande parte de sua carreira. Apesar de ter estreado em papéis secundários, jamais deixou de chamar a atenção dos espectadores, sempre impressionando com o seu nariz indefectível. Rossy é um exemplo de orgulho que todos os narigudos deveriam seguir: ao invés de ser submetida ao bisturi, a atriz conserva o diferencial, preferindo comparar-se a uma obra de Picasso.

Imagens: Rossy de Palma:
blogs.ya.com/ tuttifelinus/
Gerard de Depardieu: www.fiaf.org

Beatriz, fora nariz de "mentiroso" e nariz "soberbo", todos são bem vindos, em especial esses "Grandes narizes, grandes artistas" que você com tanta competência nos oferece. Bjs

Excelente texto, Beatriz!

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Gosto tanto das interpretações de Gérard Depardieu...Sinceridade?Nem noto o nariz:))

Nariz. Um detalhe apenas, diante de tantos talentos.

Gostei muito do texto por rever atores fantásticos.

Beatriz

Que bom gosto! Sou uma apaixonada pelos filmes de Gérard Depardieu. Um abraço.

Os tipos escolhidos para os filmes de Pedro Almodóvar não seguem uma regra de beleza. Seguramente a atriz do nariz grande deu uma carga mais expressiva a personagem.

Postar um comentário