« Home | O MARTELO E A BIGORNA » | BABEL » | Palimpnóia » | Javé, Jesus e Alá » | PEDESTAL » | O Martelo e a Bigorna » | Babel » | O Martelo e a Bigorna » | Quando o novo é antigo - por Dora Vilela » | Babel »

BONECA VERMELHA



Por Carol Montone


Todos nós temos ao menos um anjo ao redor, cujo brilho é tão forte que nos faz menos cegos. Temos muitos em verdade, mas somos feitos de olhos apressados para enxergar certos milagres. Curiosa que sou, notei logo as asas escondidas na roupa do meu avô, que infelizmente viajou para um mundo desconhecido, aonde não permitem visitas. Fiquei de sobreaviso desde então e pude notar que era rodeada de outros seres encantados. Com um pouco de dor aprendi que a gente nunca saberá quando eles chegarão tampouco quando seguirão viagem, daí a urgência de aproveitar essas companhias como se fossem as últimas bençãos vividas. A vida pode sim tirá-las de você por motivos nobres ou não, mas ninguém tirará o amor vivido. Nesses dias “ pé-natalinos” , tive pensando que essa parece ser a única razão realmente cabível para o mundo todo mobilizar-se em torno do dia 25 de dezembro. É piegas mas é um simples...Natal foi inventado para amarmos uns aos outros e dar graças pelos anjos que compartilham suas asas conosco. Claro que não seria necessário estipular data para tanto, mas nós humanóides somos muito “organizados”.

Essa semana um anjo chamado Joana Aparecida Salim, de olhos amendoados, mãos calejadas e uma abnegação gigante em relação aos prazeres da vida me deixou sem palavras natalinamente suficientes. Essa anja tem meio metro de altura e um problema neurológico que a traz muitas limitações. Munida destas, ela trabalha há quarenta anos - sem férias ou salário - na casa de uma família “cuidadora”, que ao mesmo tempo é sua única salvação e sua cruel algoz. Todos a amam, entre outras coisas talvez por conta daquele sorrisinho maroto e as vezes inconveniente, que escapa da boca pequenina enquanto suas mãos ágeis carpem jardins, lavam roupas, cuidam de bebês ou qualquer outra coisa útil para qualquer um. Eu queria presenteá-la não apenas por amor, mas por uma certa pena e era eu a coitada quem ganhou o seguinte e inestimável presente: entendi que esse ser tem paz de espírito e por isso se realiza naquilo que é e faz. Ela que quase nada tem além de muito trabalho e dificuldades de saúde me disse “eu não estou precisando de nada, use seu dinheiro para comprar algo para alguma criança, mas se você quiser mesmo me dar algo pode ser uma boneca vermelha”...me disse. Foi emocionante ver ali na minha frente um anjo em carne e osso, que encara a vida com a força silenciosa de um lenhador e guarda no coração a menina que nasceu para ninar eternamente sua boneca vermelha.

Apesar de toda a maratona consumista, das misérias e de todo o sofrimento que também enfeita o Natal das diferenças sociais de da pobreza de espírito (como bem lembrou minha nova amiga e “sensível” escritora colaboradora deste site, a Euza) , apesar dos nossos pobres anjos caídos, travestidos em meninos de rua “gente que é para brilhar e não para morrer de fome”, principalmente com tanto peru de Natal indo para o lixo por aí, mas apesar , apesar e apesar....Natal é uma época de milagres talvez porque muita gente, num repente, tenta conectar-se com a divindade do verbo amar. Não sou religiosa, mas creio que quem conta um conto aumenta um ponto e como jornalista aprendi que essa tal de objetividade factual é balela ou quase, portanto não acho que estamos todos aqui reúnidos para especular se Jesus casou ou não com Maria Madalena e nem nada similar. Também nunca consigo me atentar para datas e não tenho certeza se houve um nascimento , uma morte e uma ressurreição na ordem e jeitos que nos contaram, mas qualquer um sabe que tudo é milagre nessa vida. Jesus e todos os deuses, um dia nascendo, uma criança sorrindo, um casal dançando, eu você e um pé de alface, que como dizia meu vô era a obra de arte mais generosa da terra...”imagina quantas folhas tem um pé e quantas pessoas podem comer juntas ....”, ele dizia lembrando também da beleza das cebolas e outros milagres da natureza.
As bonecas vermelhas e a força para seguir em frente a despeito dos infortúnios pode vir de Papai Noel, não do bom velhinho de roupas de cetim, que não dá conta de chegar em quantas ???? casas, mas no papai noel que todos nós podemos encontrar disfarçado num abraço, sorriso ou num olhar de bem querer. Desejo que todos aqueles que sofrem na noite feliz possam pensar no papai noel como um símbolo de esperança de barbas brancas e essa não está à venda....está dentro de cada um.

Um grande beijo à todos e claro um Feliz Natal

Me emocionei com a beleza de suas palavras. Realmente temos anjos oa nosso redor. Mas muitas vezes nem percebemos. Anjos que nem se preocupam se são ntoados ou não, mas que fazem de tudo para dar amor a alguém necessitado. Fascinante.
Isso sim é espírito natalino.

Também não qeuro falar do natal consumista, e discutir se Jesus ansceu ou não nesse dia, ou sobre o papai noel. Quero um Natal onde possamos encontrar dentro de cada um, a luz necessa´ria para enxergamos a paz que está ao nosso redor. Para que psosamos fazer milagres e espalahr o amor.
Quero uma boneca vermelha...

Lindo e sensível texto.

Tenha um felicíssimo natal, encantado e iluminado. Tudo de bom.
E tenha um próspero ano novo, um ano que virá cheio de alegrias, com mais amizades e conquistas.

beijos
;)

…………♥
………..***
……….*****
………*Feliz*
……..*********
……************
…..******Natal****
….****************
…****Miolo de Pote*******
..********************
……….****

ola, Carol!

Prometo voltar amanhã para ler...a pressa me apressa.rsssr...

um feiz natal!

beijos

Carol, sou umleitor assiduo de seus escritos. Estava aguardando seu novo pensar, seu novo sentir, sua nova mostra de uma visao sensivel e real do mundo!
Voce escreveu sobre a mulher da boneca vermelha e disse diversas coiss sobre ela, mas oque me chamou a atençao foi a "paz de espirito" que ela tinha. Quem de nos a tem? Nessa epoca em que muitos de nos fica só por um motivo ou outro, podemos e devemos pensar sobre oque fazer para alcançar essa paz de espirito que nos traz a real felicidade. Nesse mundo, já nao seimais oque é isso, a nao ser lampejos de consciencia que me guiam e me impedem de tomar atitudes por conta de um bem maior, mas ate quando???????

Maninha, querida, a Joana é um anjo, mesmo e você uma alma linda sensível que pode percebê-la...

beijos e um ano repleto de futras doces e brisas frescas

MM

Carol,
linda lição, reflexão, experiência.. você presenteou, foi presenteada, e agora nos presenteia.. só posso então lhe dizer muito obrigado pela boneca vermelha.. Um Feliz 2007!!!! E que você continue a dissipar luz para nossos corações!
Seu amigo, Paul
PS. Suas visitas e mensagens no meu blog muito me alegram. Seja sempre bem-vinda!

Carol amiga, nova estrela que meus olhos já podem contemplar (que bela mulher), que veio através o céu deste universo paralelo virtual que cada vez mais se materializa. De uma caixinha onde nomes foram escolhidos, quis o destino se ele existe, que eu fosse contemplado com uma amiga oculta e surpresa agradabilíssima, a sensibilidade em forma de gente, gente em forma de poesia, moça das singelas palavras que são um tesouro (e você diz que o presente é simples...rs), recolhidas a tempo antes que ma roubassem, que também as dispõe d`outras que as deixa voar para o deleite de quem as ouve. E venho para adubar a semente que deitou no Amigos Ocultos.
E abro minha alma ao ler a Boneca Vermelha que encanta e estupefata pelo encantamento existente entre duas mulheres diametralmente opostas, segundo nosso conhecimento, mas duas fadas, cada qual com sua cota de bondade que são espargidas para o contentamento dos que vivem o prazer da cobertura das asas do amor fraternal.
Passei a te amar na certeza de uma amizade duradoura
Beijos que antecedem, um abraço afetuoso que coroe os desejos de sucesso crescente, saúde e paz interior que ajude a superar os percalços externos que sempre se encontram.
Salve 2007!

ola, carol!!

feliz 2007!!!!

beijos

Postar um comentário